Manjerica: a genuína gastronomia mediterrânica na Baixa de Lisboa

Próximo a Praça da Figueira, emblemático ponto turístico da Baixa de Lisboa, encontra-se um espaço com a verdadeira alimentação mediterrânica e maioritariamente de origem vegetal, conhecido por Manjerica.

A Manjerica, que leva esse nome em homenagem a uma simpática Burrinha Lanuda, uma raça portuguesa em vias de extinção, que tem como mascote no logótipo do restaurante, serve uma descomplicada, criativa, deliciosa e nutritiva gastronomia mediterrânica, onde no atual momento está a atender os clientes via take-away e delivery.

Segundo Licínia Moura, proprietária da Manjerica, – “o restaurante nasceu do desejo de ter sempre a casa cheia de gente e de juntar à volta de uma mesa os nossos amigos e os amigos dos nossos filhos. A nossa casa foi sempre assim”.

Inaugurado na Baixa em janeiro de 2019, o restaurante possui pratos especiais e criativos. “A nossa inspiração são os próprios ingredientes, as suas combinações, os modos de fazer simples da cozinha mediterrânica — que permitem que os próprios ingredientes sejam os protagonistas — e, em geral, todas as boas ideias, mesmo as vindas de outras partes do mundo, desde que respeitem os ingredientes preservando as suas características e o seu valor nutricional. O resto é o cuidado e amor que pomos na preparação, na apresentação, no receber as pessoas, e em tudo o que fazemos, para que todos os sentidos participem no prazer de comer um prato especial, deliciosamente saudável”, explica Licínia.

E em tempos de pandemia, além de optar em atender os clientes via take-away e delivery, a Manjerica está a criar uma loja online, que em breve terá mais conteúdos. “Trabalhar com a loja fechada obriga-nos a prescindir de um dos elementos fundamentais da nossa equação: o contacto próximo com as pessoas – elas são a razão para existirmos. Por outro lado, esta limitação obriga-nos a recriar-nos, a procurar soluções e caminhos alternativos que permite nos chegar a pessoas que até agora não tinham acesso à Manjerica. Temos que ser resilientes e confiar que breve estaremos de novo juntos a conversar e a rir, a partilhar uma refeição com os amigos. Nesta fase difícil, o apoio constante de alguns clientes (mesmo de longe) tem sido muito encorajador!” – conta a proprietária.

Por se tratar de um restaurante que trabalha com a gastronomia mediterrânica e tipicamente de origem vegetal, a Licínia dá algumas dicas para quem deseja tornar-se vegano. “É preciso ir com calma. Em vez de querer mudar tudo de um dia para o outro, poderá começar por fazer só um dia por semana, por exemplo, ou três vezes por semana só ao jantar, e depois ir gradualmente aumentando. Esta perspectiva de ‘ir aumentando’ a adopção do novo regime, em vez de ‘ir reduzindo’ o antigo, é mais positiva, favorece o equilíbrio nutricional na fase de transição, e ajuda a não desistir!”

Então aqui vão três dicas para quem pretende adoptar um regime alimentar baseado em plantas (dicas que são igualmente válidas para toda a gente…):

  • Primeira dica: optar pela natureza — ler os rótulos com muita atenção e evitar os produtos processados e os aditivos; como regra, escolher produtos que têm uma lista de ingredientes pequena, ou mesmo só com um ingrediente, como, por exemplo, ‘maçãs’, que são: como o próprio nome indica, simplesmente, maçãs, é claro!
  • Segunda dica: optar pela diversidade — variar e misturar cores em cada refeição é, geralmente, uma escolha acertada! Aqui, ‘mais’ é mesmo mais!
  • Terceira dica: optar pela liberdade — experimentar, não ter medo de falhar, descomplicar, sem nunca prescindir do prazer de comer; há tantas variedades de legumes, raízes, frutas, ervas, sementes, e outros vegetais para explorar, quase sem limites.

Com a previsão de abertura de parte da restauração em Portugal para o dia 18 de maio, o plano da Manjerica é voltar a receber os clientes guardando o espaçamento entre mesas para garantir a distância de segurança recomendada, o que não será difícil uma vez que o restaurante já é bastante espaçoso.

A proprietária ressalta que deseja manter o ambiente acolhedor, o que caracteriza a identidade da Manjerica, com um atendimento personalizado e muita atenção aos desejos e expectativas de cada pessoa.

Em relação à expansão para outra cidade e aos planos futuros, “a Manjerica é um comércio local no centro de Lisboa e é assim que pensamos continuar no futuro próximo. Por agora o nosso plano é conseguir fazer a Manjerica ‘crescer para os lados’ e ampliar a loja onde estamos. Sonhamos com uma Manjerica ‘mais gordinha”, conclui Licínia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *