IKEA vai investir em novas lojas em Portugal: margem sul do Tejo, Cascais e Sintra

A multinacional sueca pretende abrir lojas de pequena dimensão em Sintra, Cascais e a sul de Lisboa, assim como centros de encomendas, de planeamento e de levantamento.

A IKEA, multinacional sueca de artigos de mobiliário e de decoração de casas, vai continuar a investir em Portugal na abertura de novas lojas e de novos espaços logísticos.

A garantia foi dada por Jesper Brodin, CEO do grupo, numa entrevista transmitida no dia 14 de outubro, no programa da RTP3 ‘Tudo é Economia’.

“Esperamos continuar a crescer. Estamos otimistas tanto quanto ao desenvolvimento do mercado, que tem sido bom nos últimos anos, e agora estamos a experimentar uma nova maneira de crescer, não só com grandes lojas. Estamos a pensar em serviços, no comércio ‘online’, em pontos de venda mais pequenos, em lojas IKEA mais pequenas. Queremos levar a IKEA mais perto das pessoas”, adiantou Jesper Brodin na referida entrevista.

O CEO da IKEA assegurou novos investimentos em Portugal, que considerou um mercado estratégico para o grupo, sem revelar os valores envolvidos.

“Posso dizer que, por razões naturais, estamos a pensar no lado sul de Lisboa. Temos duas lojas fantásticas no lado norte e estamos a estudar novas oportunidades”, revelou Jesper Brodin.

Este responsável revelou ainda que “estamos a pensar abrir pontos de venda mais pequenos em lugares como Sintra e Cascais, onde se pode planear a casa, e em muitos locais pelo país, para locais de encomendas, locais de planeamento e locais de levantamento [‘pick-up points’]”.

O Grupo IKEA dispõe em Portugal neste momento de cinco lojas, empregando cerca de 2.500 funcionários.

No último ano fiscal, a IKEA registou um crescimento de 4,5% no seu volume de negócios no mercado nacional, para cerca de 480 milhões de euros.

Sobre a vertente de negócio digital do grupo, Jesper Brodin revelou que, a nível global, já vale cerca de 11% da respetiva faturação.

Neste aspeto, Portugal está um pouco atrasado, reconheceu o responsável da IKEA, apresentando apenas cerca de 5% dos negócios conseguidos através da internet, embora O CEO do grupo saliente o assinalável crescimento de 60% que essa vertente de negócio verificou no mercado nacional no último exercício fiscal.

Nesse último ano, registaram-se em Portugal 16 milhões de visitantes às lojas físicas da IKEA e cerca de 34 milhões de visitantes ao respetivo ‘site’ oficial.

O CEO da IKEA relembrou ainda que o grupo já era cliente da indústria nacional ainda antes de abrir lojas em Portugal, apresentando neste momento uma capacidade exportadora de produtores nacionais para as lojas do grupo noutros países, para além do que vende em Portugal, nomeadamente nos setores do vidro, porcelana e mobiliário.

No que se refere ao tema da sustentabilidade, uma das apostas da IKEA, Jesper Brodin prometeu que até 2025 toda a frota automóvel do grupo em todo o mundo, incluindo Portugal, será elétrica.

 

Fonte: Jornal Económico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *