Está aí o novo pastel de Setúbal (feito com laranja e amendoim)

A marca Doces Afectos, criada por um mestre pasteleiro setubalense, lança o novo Pastel Sadino esta terça-feira, 15, na Casa da Baía, em Setúbal. É o doce do Dia de Bocage e da Cidade, dia de feriado municipal.

A partir desta terça-feira, 15 de setembro, a cidade de Setúbal passa a contar com mais um doce tradicional: o Pastel Sadino criado pelo mestre pasteleiro Domingos Cruz, da marca Doces Afectos, nascida em Setúbal. A apresentação do doce vai acontecer na Casa da Baía, na Avenida Luísa Todi, às 15h30, com uma degustação aberta ao público (não é preciso inscrição).

O novo pastel, apresentado no âmbito das comemorações municipais do Dia de Bocage e da Cidade – que se assinala anualmente no dia 15 de setembro – vai ser dado a provar no expositor da Doces Afectos que, a par de outros produtores locais, está presente na mostra de sabores e sabores em frente à Casa da Baía, até 15 de setembro, das 10h às 20h.

Domingos Cruz, de 69 anos – 55 dos quais dedicados à pastelaria – contou à Evasões que o Pastel Sadino nasceu de várias recordações de infância, todas relacionadas com Setúbal, de onde é natural. “Quando tinha oito ou nove anos andava ao banho na Doca das Fontainhas, que era a nossa piscina, e lá havia uma mulher que punha sacos de tremoço dentro do rio para eles incharem e que também vendia amendoim torrado”.

Daí, o mestre pasteleiro teve a ideia de utilizar tremoço e amendoim torrado na composição do novo pastel. Depois, lembrou-se do anis sadino que a histórica pastelaria Abrantes vendia, nos anos 1950, e fez o seu próprio anis à base de vinho branco e flor de anis – o terceiro ingrediente. Já a utilização da farinha de milho surgiu das histórias do pai, que era pescador e fazia caldeiradas a bordo em que utilizavam farinha de milho para dar mais consistência à receita.

O Pastel Sadino também leva, por fim, doce de laranja, um dos produtos típicos mais conhecidos de Setúbal, que antigamente tinha uma larga (e exportadora) produção de laranja (e produtos derivados, como o licor de laranja, também recuperado por um setubalense empreendedor).

A nova criação de Domingos Cruz surge embalada num rótulo em tons de branco e azul com golfinhos e traz um pequeno descritivo do que é “ser de Setúbal”, com referência aos bairros do Troino, Fontainhas (onde nasceu), Santos Nicolau e Viso. Os bairros, os dizeres típicos e o património da região são, de resto, as suas inspirações, tendo o pasteleiro já criado seis outros pastéis originais, alguns a pedido de autarquias locais.

 

 

Foto de capa: CMS

Fonte: Evasões

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *