Em maio, fadista Mariza retorna aos palcos brasileiros

A consagrada cantora portuguesa Mariza retorna ao Brasil para vários shows em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Em 23 de maio, a fadista se apresenta na Vivo Rio no Flamengo – RJ. No dia 24 é a vez de São Paulo, no palco do Tom Brasil, e no dia 25 a apresentação acontece em Belo Horizonte.

Dia 29 de maio, Mariza fecha as apresentações no país em Porto Alegre, com show no Teatro do Bourbon Country.

O seu álbum “Mariza”, produzido por Javier Limón e editado ano passado, foi considerado pela revista britânica Songlines um dos dez melhores de 2018.

Não é a primeira vez que um álbum de Mariza recebe esta distinção. Já em 2015, “Mundo” foi também incluído na lista dos dez melhores álbuns.

Em 2017, Mariza esteve em São Paulo, apresentando esse álbum “Mundo”, sem deixar de lado grandes sucessos da carreira, como “Ó Gente da Minha Terra”, “Chuva” e “O Tempo Não Para”. A cantora esteve com os músicos José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Pedro Jóia (guitarra acústica), Yami (baixo acústico) e Vickey Marques (bateria e percussão).

Mariza também foi a vencedora do Prêmio Luso-Espanhol de Arte e Cultura 2018, pelo “seu trabalho a favor do fomento das relações entre Portugal e Espanha”, segundo ministério da Cultura de Portugal.

O Prêmio Luso-Espanhol de Arte e Cultura, de caráter bienal, foi criado em 2006 pelos governos de Portugal e Espanha para reconhecer o trabalho de um autor ou entidade que “tenha contribuído significativamente para o reforço dos laços entre os dois Estados”.

Com mais de 2 milhões de discos vendidos, 30 discos de platina e vários prêmios nacionais e internacionais no currículo, Mariza ainda possui títulos como: Comendadora da Ordem do Infante D.Henrique, de Portugal; o prêmio, concedido em 2005 pela Fundação Amália Rodrigues, como a intérprete que mais contribuiu para a divulgação da música portuguesa no exterior, e o Grau de Cavaleira da Ordem das Artes e Letras concedida pela França.

Além de ter sido, ao lado do músico português Carlos do Carmo, a embaixadora da candidatura do fado à lista representativa do patrimônio cultural imaterial da humanidade, que a Unesco aprovou em novembro de 2011.

 

Fonte: Mundo Lusíada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *