Gaia: este restaurante é um postal com petiscos e vinhos

O UVA by Cálem serve copos, petiscos e outros pratos portugueses, a qualquer hora, junto ao Douro. O restaurante é fruto de uma parceria entre o chef António Vieira e o grupo Sogevinus, detentor da marca de vinho que dá nome à casa.

Comida tradicional portuguesa e vinhos. É nesta combinação que assenta o novo UVA by Cálem, aberto, desde junho, em frente às caves daquela marca de vinho, no Cais de Gaia. O restaurante nasceu de uma parceria entre o chef António Vieira e o grupo Sogevinus Fine Wines, que integra a Cálem, entre outras marcas.

O menu inclui pratos de carne, peixe, marisco ou vegetarianos, mas também petiscos, hambúrgueres, ovos e saladas. E, para completar, vinhos do grupo Sogevinus. No UVA by Cálem come-se e bebe-se a qualquer hora – seja na sala, com 55 lugares, ou na esplanada, onde cabem 120 pessoas -, porque a cozinha não encerra.

Há alheira de caça, queijo de Penela gratinado ou ostras, até pratos mais compostos, caso do costeletão de novilho ou do peixe fresco que houver no dia. Nas sobremesas, escolhe-se entre pudim Abade de Priscos, tarte de limão merengada em copo, gelado artesanal e mais.

A tarte de limão em copo.
Fotografia: Pedro Kirilos/GI

O chef António Vieira divide-se entre o UVA by Cálem, o Wish, na Foz (restaurante de cozinha mediterrânica de autor e sushi, aberto após o Shis ter sido destruído pelo mar), e a sua fábrica de gelados, a Segreti, em Gondomar. Quando decidiu apostar nesta nova casa, em Vila Nova de Gaia, quis fazer algo diferente e adequado à zona, bastante turística. “Num local destes, só faz sentido vendermos Portugal”, concluiu. Mas com critério.

“Há coisas em que temos de ser muito genuínos. Temos de comprar o melhor produto, o mais fresco possível, e não desvirtuar a nossa cozinha, que é uma das melhores do Mundo”, defende António Vieira, que procura utilizar matérias-primas nacionais, de preferência, locais – vai buscar peixe ao mercado de Angeiras e leguminosas ao mercado de Matosinhos, por exemplo.

O resultado chega à mesa num cenário privilegiado, com vista para o rio e a Ribeira do Porto. É o próprio chef quem observa: “A paisagem, de dia, é magnífica, e à noite também é de postal”.

Na esplanada, com vista para o rio, cabem mais de 120 pessoas.
Fotografia: Pedro Kirilos/GI

Decoração com assinatura

A decoração esteve a cargo do designer Paulo Lobo. No espaço, envidraçado e luminoso, imperam tons claros, com madeiras e apontamentos dourados.

 

Fonte: Evasões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *