Festivais de Verão entre adiamentos e cancelamentos

NOS Primavera Sound 2020 foi o primeiro grande festival de verão, português, a anunciar alterações à programação, depois de vários já terem emitido comunicados a referir que estariam a analisar a situação causada pelas limitações para combate à pandemia da covid-19.

O Rock in Rio Lisboa, por exemplo, previsto para 20, 21, 27 e 28 de junho, publicou um comunicado na semana passada, a assegurar que iria “aguardar o fim do estado de emergência para tomar qualquer decisão”, apesar de a artista Camila Cabello, uma das já confirmadas para o cartaz do evento, estar entre os muitos músicos que se viram obrigados a adiar ou cancelar digressões.

O estado de emergência está em vigor desde 19 de março até 02 de abril, mas vários responsáveis políticos já reconheceram que deverá ser prolongado por mais duas semanas.

Na semana passada, o North Music Festival, previsto para 22 e 23 de maio, no Porto, disse continuar “a avaliar constantemente a situação e equaciona neste momento todos os cenários possíveis”.

Já a edição deste ano do Festival Músicas do Mundo (FMM), previsto entre 18 e 25 de julho, em Sines, distrito de Setúbal, foi cancelada por não estarem garantidas as condições sanitárias e logísticas, devido à covid-19.

Em Idanha-a-Nova, o festival bienal Boom, com datas entre 28 de julho e 04 de agosto, emitiu um comunicado há algumas semanas, no qual indicava que manteria a edição deste ano como programado, colocando apenas a hipótese de o “Boom não acontecer se as autoridades de saúde portuguesas o decretarem ou a situação global se deteriorar profundamente”.

No entanto, a organização do festival já preveniu os participantes de que, caso haja alterações, o evento passará para o verão de 2021.

Mais a Norte, o Barroselas Metalfest, que iria acontecer entre 29 de abril e 02 de maio, passou para a mesma data, mas em 2021.

 

Fonte: Mundo Português

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *