fbpx

Exposição “Gente de Palavras” no Parque dos Poetas

“Gente de Palavras” é o título da exposição, de Daniel Dias, que será inaugurada amanhã, dia 13 de julho, às 17h, no Templo da Poesia, no Parque dos Poetas. 

 

Segundo o autor, esta exposição é o seu «tributo aos poetas lusófonos, de todas as épocas e quadrantes. A ideia de retratá-los com as suas próprias palavras, modelá-los e envolvê-los na sua própria poesia pareceu-me ser uma forma, singela mas afetuosa, de lembrar essa nossa melhor “Gente de Palavras”».

 

Em 2015, Daniel Dias iniciou uma coletânea de retratos de poetas lusófonos com a intenção de homenagear poetas já falecidos que sempre admirou. Era um pretexto para revisitar poetas que já conhecia – alguns dos quais mesmo pessoalmente – e procurar conhecer alguns outros com mais profundidade. Mas talvez a mais subterrânea razão dessa iniciativa, fosse a de enaltecer a grande língua portuguesa que sempre sentiu como o seu território de conforto, ou, tal como dizia Pessoa, a sua verdadeira pátria.

 

O método adotado – que implicava múltiplos ensaios e hesitações – era o de fazer o retrato de cada um dos poetas a partir dos seus próprios poemas. Explorava a sua experiência gráfica pessoal e combinava-a com o seu gosto pela poesia. O autor embrenhava-se na obra dos poetas, e, concentrando-se nas suas imagens, “caligrafava” os retratos. Cada traço ou mancha que definia os seus rostos era constituído por versos dos poetas, numa amálgama espontânea e um tanto caótica. O autor experimentava dessa forma algo “exótica”, a estranha sensação de mergulhar no âmago de cada poeta, e de “absorver” todo o seu conteúdo, realidade, e dramatismo próprios…

 

A primeira exposição de “Gente de Palavras” era constituída por vinte retratos. Mas a coletânea não parou. Os poetas parecem reclamar-se uns aos outros… Cresceu, e dos vinte iniciais passou a vinte e oito, depois a trinta e dois, e a quarenta… Atualmente conta com cinquenta retratos.

 

As diversas edições foram exibidas em vários lugares, em Lisboa, no Algarve e agora, pela segunda vez, em Oeiras. Aqui, neste fascinante Templo da Poesia, são apresentados, vinte e nove dos cinquenta retratos existentes.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *