De onde vêm os apelidos portugueses com nomes de árvores?

Muitos sobrenomes portugueses têm origem em árvores, como Pereira, Carvalho, Pinheiro, outros têm origem em nomes de animais, como Coelho, Lobo, Cordeiro… Existem várias teorias que tentam explicar o motivo pelo qual há vários apelidos portugueses com nome de plantas. Desde Pinheiro, Pereira, Carvalho, Macieira, Oliveira… Não há uma teoria consensual para explicar a origem destes apelidos e o mais provável é que tenham tido origem em situações e contextos diferentes, mas há uma teoria que sobressai: a origem judaica.

A teoria predominante é que esses nomes teriam sido adotados pelos judeus obrigados a converter-se ao catolicismo na época da Inquisição. Ao mudarem de religião (ou ao fingir que mudavam, como era a maioria dos casos) os judeus mudavam o seu sobrenome para um nome português e tinham o hábito de escolher nomes de árvores. Há, no entanto, registos de muitos outros nomes descendentes de famílias judaicas que nada têm a ver com esta teoria.

Nem todos os judeus, quando foram obrigados a converter-se, usaram estes apelidos, mas grande parte assim o fez. E existe também outro pormenor: quem tem o apelido Oliveira, Pereira ou Pinheiro, por exemplo, pode não ter qualquer raiz judaica, uma vez que alguns desses apelidos já eram usados antes da conversão dos judeus.

A origem dos apelidos portugueses pode ser muito diferente. Outro pormenor curioso é a origem dos apelidos terminados em “es”, como Nunes, Fernandes, Gonçalves. Estes apelidos são de origem patronímico. Antigamente, sempre que um casal tinha um filho, o apelido desse filho era a adaptação do nome do pai. Por exemplo, se um homem chamado Nuno tivesse um filho chamado João, esse filho seria João Nunes, que significa “João, filho de Nuno”.

 

Fonte: Mundo Português

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *