Barrenta e suas concertinas mantêm tradição e abrem-se ao mundo

Encontro Nacional de Tocadores de Concertina vai juntar grupos de todo o país nas redes sociais

 

Este ano, o 19.º Encontro Nacional de Tocadores de Concertina da Barrenta, vai acontecer num formato diferente, em consequência da pandemia por Covid-19.

Habitualmente, esta iniciativa realiza-se no último sábado de setembro, desde 2001, e traz à pequena aldeia da Barrenta, Porto de Mós, centenas de tocadores de concertina de todo o país. Este ano, todos estes grupos foram convidados a participar num encontro que acontecerá online, e será transmitido nas redes sociais, assinalando assim este dia de forma especial.

Barrenta ComVIDA, 19.º Encontro Nacional de Tocadores de Concertina On-line, irá não só divulgar os todos grupos que participam e a cultura que engloba a concertina, e que nestes tempos de pandemia não têm tido oportunidade de mostrar o seu empenho e dedicação, mas também dar a conhecer a região e muito dos seus pontos atrativos sobretudo no que toca à Serra de Aire. Está em analise uma hipótese de conseguir chegar às aldeias vizinhas, de forma presencial, mas sem pôr em causa a segurança que as circunstâncias exigem. A seu tempo este momento musical será divulgado.

Esta iniciativa promete assim ligar centenas de tocadores e respetivos grupos através dos seus lugares à pequena aldeia na Serra de Aire, com toda a segurança, evitando as habituais multidões que ali se deslocam.

Os tempos e as circunstâncias que o mundo atravessa são muito particulares, e têm implicações em todos os domínios da vida quotidiana.

O Centro Cultural da Barrenta não foi exceção. Durante quase 3 meses, as portas estiveram fechadas, e todas as iniciativas em agenda para 2020 foram canceladas/adiadas.  Nesta fase de desconfinamento, os ensaios foram retomados também em novos formatos, cumprindo as regras exigidas pela Direção Geral de Saúde.

Este pequeno lugar, na União das Freguesia de Alvados e Alcaria, conta com cerca de 38 habitantes, e em 2019 acolheu mais de 500 tocadores de concertina e milhares de visitantes.

O primeiro encontro foi em 2001 e envolveu cerca de 40 tocadores, com o objetivo de poder dar “vida” a uma aldeia que só por si iria desaparecer com o passar dos anos se nada fosse feito para ter alguma visibilidade.

Numa região que reúne 100 concelhos, lugares com história, lendas, costumes e tradições, onde é possível descobrir a essência de um país, este evento é, sem dúvida, um marco que perpetua um dos instrumentos mais típicos da cultura popular. Este ano de forma inovadora, prometendo ficar na história com uma iniciativa nunca antes feita.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *