A Lanchonete: os lanches brasileiros têm nova casa em Belém

Os lanches brasileiros à moda de São Paulo chegaram à zona de Belém, em Lisboa, com a reabertura d’A Lanchonete Raio Laser, fundada há 32 anos.

Pedro Bento ainda se lembra dos tempos em que mal chegava com as mãos à altura do balcão d’A Lanchonete Raio Laser. «Lembro-me de ter oito anos, estar atrás do balcão e as pessoas não me verem e eu ficar chateado». Hoje, aos 29, é ele que toma conta do negócio que os pais abriram há 32 anos, e onde ainda trabalham, mas mais folgados.

A mãe, Paula, 58 anos, ajuda mais na cozinha. O pai, José, 71 anos, trata da logística. Pedro, tal como antes, faz um pouco de tudo. «Sempre que tinha férias da escola vinha ajudar os meus pais, porque gostava. Antes de entrar para a faculdade já vinha aqui ajudar um pouco mais a sério», diz.

À hora de almoço é vê-lo na caixa de pagamento, a servir às mesas ou a receber amigos. Após três semanas de obras A Lanchonete reabriu, a 7 de janeiro, e ao que parece tem estado a correr bem. «A casa tem estado cheia e não viram um único estudante, pois agora a Lusíada está fechada», nota, à data da reportagem.

Foi precisamente para ir ao encontro dos jovens daquela universidade e de quem queria comer rápido e em conta que os pais abriram, na altura, o snack bar Raio Laser – Lanchonete Pastelaria Limitada. «Raio Laser era um nome giro há 32 anos, não foi por motivo nenhum», comenta Pedro entre risos. Snacks, pizas e hambúrgueres era o que vendiam.

Coxinhas de galinha e pão de queijo, duas das entradas d’A Lanchonete Raio Laser. (Fotografia de Filipa Bernardo/GI)

Tinham 20 hambúrgueres, hoje só têm cinco fixos e um especial do mês. Pizas já não as fazem – quem quiser algo próximo pode pedir o pastel de piza com recheio de mozarela, tomate e orégãos. Os pastéis de feira, tão típicos de São Paulo, são bons como entrada e marcam a identidade brasileira da nova carta d’A Lanchonete.

Também há pão de queijo e coxinhas de galinha. Os ditos lanches brasileiros, equivalentes a um prato principal, são três e feitos como em São Paulo. O Bauru vem em pão saloio com carne assada, queijo, tomate, alface e maionese. O Americano, com pão de forma, leva fiambre, bacon, queijo e ovo estrelado, alface, tomate e maionese.

Já o Beirute distingue-se pelo pão pita (libanês) recheado com queijo creme, fatias de carne assada, queijo, alface, tomate e ovo estrelado. É um exemplar das influências do mundo na gastronomia brasileira de São Paulo, uma das cidades mais cosmopolitas do país, e onde as lanchonetes servem este tipo de refeições.

Chamam-se lanches, mas podem comer-se a qualquer hora com uma cerveja de garrafa ou pressão ou um sumo natural. De resto, A Lanchonete também tem um prato do dia, que vai variando entre algo português e brasileiro. Para terminar, Pedro Bento sugere uma fatia de bolo brigadeiro feito pela mãe e a tartelete com receita da tia brasileira.

 

Fotos: Filipa Bernardo/GI

Fonte: Evasões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *