O mercado imobiliário português e o Belas Clube de Campo: Um paraíso no Centro de Lisboa

O Grupo André Jordan tem na sua origem o cenário cosmopolita da Cidade Maravilhosa: o Rio de Janeiro. Nos primeiros anos da década de 40 do século XX, Henryk Spitzman Jordan, um empresário de nacionalidade polaca, iniciou a construção de um sonho que representou a reconstrução da sua vida e das vidas da mulher e dos filhos que o acompanharam no exílio forçado pela guerra na Europa.

O grupo empresarial que Henryk Spitzman Jordan fundou no Rio de Janeiro continua ativo, nas últimas quatro décadas por impulso do seu filho André, e hoje sob a liderança do seu neto Gilberto, com quem tivemos a satisfação de conversar.

Gilberto Frederico Von Liechtenstein Jordan nasceu em 1961 e é licenciado em Economia pelo ISEG (Universidade de Lisboa). Atualmente é Presidente do Conselho de Administração do Grupo André Jordan. Participou no desenvolvimento de empreendimentos de grande prestígio internacional, como é o caso da Quinta do Lago, de Vilamoura XXI e do Belas Clube de Campo.

Leia a entrevista completa:

 

O André Jordan Group tem uma história com mais de 60 anos. Ao longo desse período houveram inúmeras crises políticas e econômicas. Como foi possível se manter competitivo durante tanto tempo e enfrentar situações externas que impactam diretamente na compra/venda de imóveis?

O Grupo já passou por várias crises económicas e politicas ao longo dos  anos e tem sempre conseguido adaptar-se e em alguns casos sair dessas crises mais forte. Em Portugal passámos por uma primeira crise com a revolução em 1974 e agora mais recentemente a crise economica e financeira desencadeada pela falencia da Lehman e dividas soberanas.

Durante esta última crise a estratégia foi concentrar os recursos na qualidade do nosso produto e defenir bem uma estratégia para quando for o momento certo podermos avançar e estar na linha da frente.

Assistimos com grande entusiasmo, à revitalização do mercado nacional e à duplicação da procura face a 2015. Esta tendência está bem espelhada na excelente recetividade que a nova fase do Belas Clube de Campo – o Lisbon Green Valey, está a merecer da parte de compradores estrangeiros, estimando nós que venham a atingir uma fatia de 40% nos próximos anos.

 

Tem sido muito noticiado o crescimento das vendas de imóveis para estrangeiros. Esse é um mercado que começa a perder fôlego e tende a se estabilizar ou ainda existe muito a ser explorado?

O Portugal está dinâmico e atrai cada vez mais estrangeiros. Atualmente estima-se que 40% do investimento imobiliário é feito por estrangeiros que optam por investir no nosso país, quer para viver, quer para segunda habitação, pela estabilidade politica e social, qualidade de vida, aliadas a uma conjuntura económica e financeira favorável e às políticas de incentivos a estrangeiros como o regime fiscal para os residentes não habituais e Vistos Gold. É um mercado em transformações e crescimento e a perca de folego ainda está longe de acontecer. Temos um publico cada vez mais diversificado e exigente e temos de estar preparados para inovar quer ao nível da arquitetura, da sustentabilidade, do lazer e das infraestruturas e serviços.

 

Portugal tem recebido diversos estrangeiros, principalmente brasileiros e chineses, com grande poder aquisitivo. Como isso interfere diretamente no mundo dos negócios imobiliários? Que estratégias o André Jordan Group adota para atrair esse público?

Hoje a oferta imobiliária de Lisboa e Porto é muito apetecivel para o público internacional. Temos mais de 27 nacionalidades vivendo atualmente no Belas Clube de Campo, sendo os brasileiros o de maior destaque. Nossa estratégia é estar presente pessoalmente e com representantes nossos, e investindo na comunicação clara e simples, informando do que existe e é real e não promessas e na realização de eventos neste momento visitando seis cidades do país.

A qualidade do projeto, a segurança, a diversidade da oferta – apartamentos, townhouses e lotes para construção de moradias – e a localização privilegiada na Serra da Carregueira, a quinze minutos do centro de Lisboa, são fatores de atração valorizados por investidores estrangeiros de múltiplas origens.

Este é o tipo de habitações que interessa ao interessado sofisticado e de perfil internacional. Foi o que fizemos com a Quinta do Lago e Vilamoura XXI e é isto que estamos a fazer com o Belas Clube de Campo.

 

O empreendimento Belas Clube de Campo, vem recebendo diversos prêmios e chamando a atenção tanto da mídia especializada quanto das pessoas que pretendem estabelecer residência em Portugal. Como foi o desenrolar desse projeto e como ele foi estrategicamente desenvolvido?

O Belas Clube de Campo é hoje uma referência internacional e é considerado por muitos como o destino de eleição na capital Portuguesa. É um caso único em toda a Europa, pois trata-se de um Clube de Campo inserido numa capital a 15 minutos da Praça do Marquês de Pombal e da Avenida da Liberdade, ou seja, do Centro de Lisboa. Trata-se de uma comunidade residencial inaugurada em 1997, onde o Grupo André Jordan utilizou toda a experiência adquirida na criação e desenvolvimento de projetos de alto padrão como a Quinta do Lago e Vilamoura XXI. Um espaço onde domina a excelente qualidade arquitetónica, integrada com a beleza paisagística, sem faltar as infraestruturas, a segurança e serviços necessários ao dia-a-dia dos residentes e visitantes.

É o local para as famílias, amantes do golfe e apreciadores da tranquilidade e Natureza, mas que não prescindem da proximidade do centro urbano. Não existe outro local como este.

É a conjugação de todos este factores, localização, qualidade do produto e dos espaços, dos serviços, da sustentabilidade, entre outros, que tornam este lugar único e distingido por diversas entidades de diferentes áreas.

 

No brasil estão acontecendo diversas apresentações do empreendimento em diversas cidades. Você acredita que público brasileiro é um público estratégico para alavancar o crescimento das vendas?

Sem dúvida. O brasileiro encantou-se com o Belas Clube de Campo e representa a principal nacionalidade da vendas no Lisbon Green Valley. Por isso acreditamos que é fundamental estar perto dos nossos clientes e potenciais clientes brasileiros, não apenas nos grandes centros, mas em cidades do interior, no Norte e no Nordeste, pois o público que escolhe Portugal como destino está espalhado pelo país.

 

O Andre Jordan Group possui laços muito fortes com o Brasil e em especial com o Rio de janeiro. Faz parte dos planos da empresa a médio ou longo prazo investir em empreendimentos nessa cidade?

Temos uma forte relação com o Brasil. Meu pai e eu somos cariocas e o Grupo está presente neste mercado há vários anos nomeadamente com a edificação de projetos como o Edifício Chopin, no Rio, e Edifício Esplanada, em São Paulo, então para nós investir no Brasil é natural, mas potencializamos essa aposta por conta da ampla demanda. Hoje, temos a nossa atividade centrada em Portugal, no Belas Clube de Campo e temos representação comercial no Brasil onde recebemos pedidos de possiveis clientes praticamente todos os dias, de todas as regiões, incluindo o Norte e Nordeste.

 

Falando em futuro, o que o André Jordan Group espera do mercado imobiliário para os próximos cinco anos e como se prepara para eventuais mudanças?

O ano de 2017 ficou marcado por um aumento significativo no investimento imobiliário e a atual conjuntura permite-nos antecipar um ano de 2019 e seguintes igualmente solidos. São muitos os fatores que justificam o otimismo tanto por parte de investidores nacionais, como estrangeiros.

Portugal está em alta e a tendência é para continuar. No caso do Belas Clube de Campo queremos continuar a inovar e a colocar no mercado produtos inovadores de grande qualidade onde as familias possam usufruir com todo o conforto da sua casa e de toda a envolvente.

Estamos e vamos continuar empenhados naquilo que melhor sabemos fazer que é a criação de resorts residenciais de elevada qualidade, em volta de um campo de golfe, do lazer e do lifestyle.

 

O Belas Clube de Campo tem participado de feiras no Brasil para a promoção do empreendimento. Confira aqui como foi a participação em Brasília.

 

Fonte: Belas Clube de Campo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *