Mercado de luxo cresce 11% no mundo inteiro e Portugal é um dos países com mais compradores internacionais

No final de maio, a Christie’s International Real Estate divulgou o relatório de 2018 da publicação “Luxury Defined”, onde a capital portuguesa se destaca como um dos países com maiores compradores internacionais.
Em 2017, as vendas de casas de luxo internacionais registaram a maior percentagem de crescimento anual em três anos, com 11%. A crescente confiança do consumidor, as baixas taxas de juros, um mercado de ações robusto e uma economia global estável impulsionaram esta procura por imóveis de luxo, continuando agora em 2018. O relatório é divulgado na plataforma Luxury Defined, uma análise anual da dinâmica global de imóveis de luxo da rede Christie’s International Real Estate, especialista líder mundial em segmento médio-alto e alto. Poderá fazer o download do estudo AQUI.Em Portugal, os números referentes aos primeiros meses de 2018 reforçam este interesse internacional, fruto do investimento da empresa na captação de mercados internacionais. Segundo o observatório trimestral da Porta da Frente Christie’s, as vendas a estrangeiros no escritório de Cascais representaram mais de 65% dos negócios, enquanto que em Lisboa rondaram os 60% e em Oeiras 40%. Que nacionalidade compra mais? O cidadão brasileiro, sem dúvida: em Lisboa, 36% das vendas feitas no primeiro trimestre de 2018 foram a brasileiros, com um valor médio de compra perto de 800.000€ e em Cascais os números rondaram os 28%, com valores médios de compra próximos do 1 milhão de euros.

Por outro lado, as nacionalidades francesa, inglesa e americana continuam a privilegiar a sua futura casa em Portugal, sendo que o mercado americano tem vindo a aumentar a procura e interesse pelo nosso país. Já o mercado português, continua em forte crescimento. Em Cascais, 32% das vendas foram a cidadãos nacionais, em Oeiras 57% e em Lisboa 39%. O valor médio de compra português oscila entre os 500.000€ em Oeiras e 900.000€ em Cascais, respetivamente.

“O mercado imobiliário português está a atravessar um período muito positivo. Há um grande dinamismo na compra e venda de imóveis, aliado a uma forte recuperação económica do país. O interesse por imóveis portugueses tem crescido tanto para compradores nacionais como para o comprador internacional, resultando num crescimento acentuado para a Porta da Frente Christie’s.

Nos primeiros meses de 2018, para além da nacionalidade portuguesa, os nossos maiores compradores vieram do Brasil, Inglaterra e França. Também fizemos vendas a suecos, americanos, indianos, turcos e italianos, entre outras nacionalidades. Isto fez com que nos posicionássemos no grupo dos 8 países de toda a rede Christie’s com mais compradores internacionais”, afirma Rafael Ascenso, diretor geral Porta da Frente Christie’s.

Fatores como a segurança – Portugal é o 3º país mais seguro do mundo -, qualidade de vida, preço abaixo da média europeia, clima ameno, infraestruturas, escolas e hospitais, têm contribuído para que o país esteja no radar não só de turistas mas também de quem procura um futuro melhor para a sua família. Portugal tem o dom da hospitalidade, fazendo qualquer visitante estrangeiro sentir-se verdadeiramente em casa.

 

Fonte: Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *