A mostra “O retrato do rei dom João VI” no MHN

Faz 200 anos que Dom João VI (1767-1826) foi aclamado, no Rio, rei de Portugal, Brasil e Algarve. Para comemorar a data, o Museu Histórico Nacional – MHN inaugurou, nesta quinta-feira (29/11), a mostra “O retrato do rei dom João VI”, com curadoria de Paulo Knauss, diretor do MHN e professor de História da Universidade Federal Fluminense. João de Orleans e Bragança estava lá para representar a realeza brasileira. São 24 pinturas de instituições brasileiras e portuguesas, coleções particulares e do próprio acervo do MHN e, além dos retratos, condecorações, medalhas, moedas, leques, gravuras e uma réplica da coroa de 1818, somando 60 itens. “O conjunto evidencia como a diversidade da imagem de Dom João acompanha as muitas mudanças políticas e de gosto da época, o que permite também reconhecer o diálogo dos artistas de Portugal com os do Brasil, considerando que, a partir de sua estada no Rio, o rei passou a ser representado por pintores nascidos no País e formados longe das academias europeias”, explica Knauss.

Dom João de Orleans e Bragança e Paulo Knauss, o curador da mostra /Foto: Marco Rodrigues

A artista plástica portuguesa Alexandra Pinho e o embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral /Foto: Marco Rodrigues

Nuno Rebelo de Sousa, presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil (e filho de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal), e Guilherme Pfisterer, presidente da Associação dos Amigos do MHN /Foto: Marco Rodrigues

Vera Alencar, diretora dos Museus Castro Maya (Ibram/Minc), e Maurício Vicente, diretor do Museu Imperial de Petrópolis /Foto: Marco Rodrigues

Maria Eduarda Leitão e Jaime Van Zeller Leitão, consulesa e embaixador de Portugal no Rio /Foto: Marco Rodrigues

 

Fonte: iG / Lu Lacerda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *